2000

Portfolio Completo PDF

MERCADO PÚBLICO DE BLUMENAU

 


 

MERCADO PÚBLICO DE BLUMENAU

Blumenau - SC - 2007

cliente: Prefeitura de Blumenau

área construída: 4.350 m²

 


 

Importante equipamento urbano, os Mercados Públicos sempre foram espaços de encontro, de manifestações culturais, de lazer, de comércio e troca. Ao longo dos tempos, a arquitetura dos Mercados Públicos se mistura à evolução tecnológica da cidade, de seus costumes e tradições culturais difusoras da memória coletiva. Das vielas da cidade medieval, até sua concentração em espaços físicos cobertos e pré-concebidos, o Mercado Público trás consigo seu original espírito urbano, que o relaciona diretamente com elementos como a rua, a praça e o passeio.

Esta questão conduziu conceitualmente nossa proposta para implantação do Mercado Público de Blumenau. Entendemos que o Mercado deve fazer parte da cidade, assim como a cidade deve invadir o Mercado. No terreno estabelecido para a implantação do novo Mercado criamos uma praça que concentra, hierarquiza e distribui todo o fluxo de acesso, permanência ou passagem por sua área, possibilitando a criação de uma franca relação com as diversas atividades existentes no novo edifício, potencializando também a percepção espacial do conjunto arquitetônico que se destaca e se abre para a cidade.

Este partido arquitetônico nos garante a construção de um espaço adequado para o bem estar da “vida” do Mercado, fazendo da sua apropriação coletiva e privada, ferramenta de fundamental importância para a integração social e econômica de suas diversas atividades.

Implantação

A criação gráfica de um quadrilátero imaginário foi o ponto de partida para que se estabelecesse o limite da praça e de suas composições volumétricas. Esta decisão também orientou toda a métrica do desenho do novo Mercado, permitindo que o conjunto estrutural proposto, mobiliário urbano e arquitetura, obedecessem a uma ordem já pré-estabelecida com o objetivo de fazer possível sua racionalização construtiva, tendo sempre em vista a viabilização econômica da proposta.

A organização espacial e funcional do conjunto volumétrico formador do novo Mercado de Blumenau é claramente identificada por dois volumes principais, porém, com pesos distintos: o volume (A) que funciona como uma peça de arremate às construções existentes ao norte do terreno. Este volume abriga também uma varanda gastronômica que se volta para a praça de acesso ao Mercado, fugindo do modelo “fast-food”. A aparência maciça deste volume e a sua posição em relação à quadra fazem de sua discreta presença importante suporte no destaque do volume (B), composto por uma grande cobertura de aço, vidro, alumínio e teflon. O afastamento de 10m entre muro e este volume marca o acesso de serviço (docas) e o acesso ao estacionamento subterrâneo do novo Mercado.

O volume (B) cobre a praça de acesso principal ao Mercado abrigando os boxes e as lojas de artesanato. Elegantemente, ele permite que o seu invólucro crie uma rica relação espacial entre cheios e vazios, opacidades e transparências, interior e exterior, chão e céu.

Os acessos ao edifício acontecem ao nível 19,30m pelas Ruas Alberto Stein, Humberto de Campos e Mariana Bronnemann. A entrada de serviço ao Mercado, e de acesso de veículos ao estacionamento subterrâneo são feitas pela Rua Alberto Stein com saída pela Rua Mariana Bronnemann. A entrada e saída de veículos do subsolo são controladas por uma guarita e cancelas distribuídas no seu interior. O de acesso de serviço é controlado também por uma guarita e fechado por grades de ferro. Duas das três entradas e saídas de pedestres (circulações verticais) do estacionamento subterrâneo foram localizadas voltadas para o passeio da Rua Mariana Bronnemann e Rua Alberto Stein, com o objetivo de possuir funcionamento independente das atividades do Mercado, podendo assim ser utilizado em horário independente.

A entrada principal, voltada para Rua Alberto Stein, é feita por uma praça de chegada resultante do afastamento e da composição volumétrica do conjunto que forma o quadrilátero do Mercado. A mesma preocupação com o afastamento se deu junto à Rua Humberto de Campos, já que possui parada de transporte público e também uma das entradas lindeiras ao Mercado.

O novo Mercado possui circulações verticais compostas por elevadores e escadas. Estas são distribuídas de acordo com o código de incêndio vigente na cidade e de maneira a atender a organização funcional composta pela distribuição programática do Mercado e por sua concentração de pessoas.

O fechamento do Mercado é feito por um conjunto de portões de ferro entre volumes, de maneira a simplificar o manuseio e conservação dos mesmos, e evitar grandes áreas de fechamentos no perímetro do Mercado. Estes portões fundem-se aos volumes dos boxes sem influenciar visualmente o conjunto das atividades diárias do Mercado.

O Programa

O novo Mercado é distribuído programaticamente da seguinte maneira:

1)Andar térreo (nível 19,30m) da praça de acesso que estende-se para o interior do Mercado

Volume (A)
Setor de Carga e Descarga, Utilidades e Administração;
Setor de sanitários;
Pastelaria e Padaria;
Serviços – lotérica, banco, correio, Espaço Gourmet, engraxataria, enfermagem e fraudaria;

Sobre Volume (B) – Cobertura
Espaço cultural (continuação da praça de chegada);
Box de verduras e frutas/ embutidos;
Box de carnes e peixes;
Acessos verticais ao estacionamento subterrâneo;

2)Primeiro Andar (nível 24,70m)

Volume (A)
Corredor de serviço;
Lojas de alimentação, restaurante e choperia;
Sanitários e fraudaria;
Café/ confeitaria;
Varanda Gastronômica – voltada para o Espaço cultural;

Sobre Volume (B)
Lojas de Artesanato e passeio suspenso

3) Subsolo (nível 16,40m)
Estacionamento e circulações verticais

Construção

Seguindo a definição do quadrilátero que abrange as áreas internas e externas do Mercado, se criou uma malha regular composta por eixos estruturais (7,20mx7,50m) que se distribuem de maneira a atender racionalmente toda a organização volumétrica do novo Mercado, ocupando os andares do térreo, primeiro, subsolo e cobertura.

Para o estacionamento de 150 vagas propomos a construção de um único subsolo para evitar os custos elevados em meio ao lençol freático evitando-se assim lajes de subpressão e espessas paredes diafragma.

Todo o volume (A) possui estrutura convencional e possui altura de 13m, com laje, pilares e vigas de concreto. Seus fechamentos são em alvenaria tradicional formando um sanduíche acústico e térmico com uma membrana composta por placas de basalto com 20mm de espessura e juntas secas, fixadas a alvenaria externa por perfis metálicos. As placas de Basalto também são aplicadas no piso do Mercado, fazendo do volume (A) a continuação gráfica do tratamento estético urbano proposto também para as áreas que marcam o quadrilátero. Assim o volume (B) com altura de 11,40m, composto por estrutura de aço, vidro, alumínio e teflon (PVDF), assume papel preponderante na paisagem, destacando-se volumetricamente, evidenciando a nova imagem do Mercado Público de Blumenau.

Os pilares da cobertura (volume B) são compostos por perfis “i” de aço, que se conectam a vigas-treliças, obedecendo mesma modulação indicada pela malha regular, evitando assim, balanços desnecessários.

A opção pelo fechamento da cobertura em placas de teflon com proteção termo-acústica, se deu com o objetivo de manter esta estrutura esbelta e leve, o que conseqüentemente permite o melhor aproveitamento econômico dos investimentos na construção do complexo.

Transversalmente as vigas-treliças, são fixadas as vigas secundárias, formando um conjunto de molduras em aço, onde as placas de teflon são fixadas. A inclinação de 5% da placa de teflon cria, naturalmente, entre elas um vão de luz que é composto por uma esquadria de alumínio com fechamento em de vidro 10mm com PVB opaco, permitindo que a luz indireta do dia invada constantemente o Mercado. A inclinação das placas atende as questões de insolação da região e direciona as águas pluviais para uma calha fixada nas vigas-treliças, que condizem as águas captadas da chuva para uma cisterna própria, redistribuindo esta mesma água para a reutilização nos sanitários públicos do Mercado. Este sistema composto por uma malha de aço facilita também a condução de grande parte das instalações prediais aparentes, facilitando seu acesso e manutenção.

Além da sua utilização na cobertura, esta malha estrutural composta por aço, vidro, alumínio e teflon de expande e se aplica também nos fechamentos laterais do volume (B) do conjunto do Mercado. Estes têm função de proteção das três fachadas principais do conjunto das intempéries, e manutenção do calor nas áreas de permanência do mercado.

Com a mesma lógica reguladora, criou-se uma espécie de “malha-calha” que passa entre cada Box, circulação e loja, concentrando os pontos hidráulica, elétrica, lógica, esgoto e gás. Este sistema, que obedece a mesma linha racional da malha de cobertura, permite que o Mercado seja lavado rapidamente, concentrando o acumulo de lixo em caixas de passagem de fácil acesso à limpeza. Permite também a individualização do controle de energia e do consumo de água em cada estabelecimento se necessário.

Para fazer a conexão vertical das instalações foram criados “shafts”, que concentram e racionalizam a alimentação e a distribuição das instalações na laje do 1o. Pavimento e Coberturas.

O sistema de gás está centralizado em uma edícula anexada à entrada de serviço do Mercado, de frente para as docas. Também no fundo do terreno, com fácil acesso pela via pública estão a central elétrica, a subestação, o lixo e gerador.

Na laje de cobertura do volume (A), estão concentrados o reservatório de água potável e incêndio, todo o sistema de exaustão das cozinhas e os condensadores de ar. Já o sistema de aquecimento a gás do Mercado, é distribuído pela malha – calha e pelo fechamento lateral da cobertura, propiciando, quando necessárias, zonas de calor.

Os banheiros, vestiários e cozinhas, serão servidos por água quente graças à instalação de aquecedores solares na cobertura, distribuídos nas vigas secundárias, onde aproveitam a alimentação aérea de instalações e o fácil acesso a manutenção por meio de passarelas metálicas sob as vigas – treliças e calha.

 

 

 

 

 

Equipe:
Marco Milazzo
Gustavo Rosadas
Sara Jorge
André Thurler
Ana Paula Polizzo
Xavier Tomassetti
Tom Caminha
Gustavo Martins
João Paulo Bastos

 

Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau Mercado Público de Blumenau

 

www.000webhost.com