2000

Portfolio Completo PDF

CENTRO CULTURAL, DE EVENTOS E EXPOSIÇÕES DE CABO FRIO

 


 

CENTRO CULTURAL, DE EVENTOS E EXPOSIÇÕES DE CABO FRIO

Cabo Frio - RJ - 2014

cliente: Governo Estado Rio de Janeiro / Prodetur

área construída: 5.300,00 m²

 


 

A cidade de cabo frio durante muitos anos foi uma cidade de veraneio, famosa pelas suas praias e pelas suas extensas dunas. Hoje cabo frio é uma grande metrópole, com um aumento significativo da sua população, passou a ter vida além do turismo. Mas a urbanização trouxe a especulação imobiliária, que foi tomando conta das suas belíssimas paisagens.

Nesse sentido, para o centro cultural de eventos e exposições de cabo frio buscamos uma proposta arquitetônica impactante, mas que ao mesmo tempo não se transformasse em mais uma barreira para a contemplação, principalmente de uma área tão exuberante quanto o sitio onde a edificação será implantada.

Nosso primeiro partido foi integrar edificação e natureza, criando um parque-duna, onde o terreno natural se mistura com a cobertura, onde as pessoas possam caminhar e usufruir de espaços de lazer, descanço e contemplação, uma edificação que fosse continuidade da rua.

Quem chega em cabo frio vê ao longe destacado no horizonte a fachada do prédio voltada para a lagoa. Para quem se aproxima pela rua vê uma duna de areia e por trás dela a ponta mais alta da edificação, que aos poucos vai se revelando.

A implantação do nosso projeto iniciou seguindo a forma do terreno, buscando os afastamentos necessários para a sua integração com a rua, e gerando um núcleo, uma praça interna, onde podem ocorrer os eventos externos e aproveitar a vista da lagoa.

O uso da espiral como geradora da forma surgiu naturalmente e também inspirada nas diversas relações que esta forma geométrica tem na natureza. Podemos fazer referencia à outra característica da cidade, as conchas que também seguem a forma espiral. Apesar da aparente complexidade, o programa é facilmente resolvido dentro desta forma e traz uma série de benefícios.

A cidade de cabo frio hoje possui pouca demanda de eventos. Também faltam infraestrutura e rede hoteleira. A área do dormitório das garças ainda é pouco densa, aparecendo aos poucos condomínios residenciais. Por estes motivos, consideramos que um projeto deste porte na cidade de cabo frio, para ser sustentável, precisa ser um espaço totalmente multiuso, adaptável as mais diversas situações, e também funcional no dia a dia da cidade. A edificação não pode se transformar em um gerador de custos de manutenção, ao invés de renda para a cidade.

Por este motivo, propomos uma edificação única com vão livre, onde os espaços são subdivididos com paredes de gesso acartonado e painéis acústicos móveis. Uma galeria corre ao longo da edificação, abaixo do piso, distribuindo por piso elevado uma malha de instalações de ar-condicionado, elétrica, hidráulica e esgoto.

A área de exposições é dividida em 6 módulos separados por paredes acústica, podendo ser configuradas para eventos simultâneos. O primeiro módulo se integra ao ambiente externo e o último módulo se integra ao teatro. Todos os módulos possuem seu próprio depósito, que podem ser acessados diretamente pelas docas. O espaço tem proporções que comportam inclusive quadras esportivas.

O teatro-auditório pode ser configurado de diversas formas, já que pode ser interligado ao espaço de exposições e as salas de reunião. As cinco salas de reunião são divididas por painéis móveis acústicos, e podem ser integradas entre sí, formando espaços de diferentes dimensões.

Um único foyer linear corre por toda a frente da edificação, permitindo acesso à todos os ambientes, fazendo a conexão entre o espaço interno e externo, com a vista para a lagoa. Esta distribuição permite transformar o prédio em galeria de lojas, permite a criação de mezaninos caso seja necessárias expanções.

O acesso de pedestres pela rua corta a edificação, permitindo o acesso direto ao foyer, à praça externa ou ao restaurante, assim estes ambientes podem funcionar independentes.

O estacionamento foi implantado de forma à permitir fácil acesso ao complexo, porém sem interferir no seu uso, nem obstruir a vista da lagoa. Ele fica abaixo do nível da calçada, parcialmente escondido pelas dunas e pela vegetação.

A praça-duna permite uma integração maior do público e privado, devolvendo à população local uma parte do terreno que está sendo ocupada. Criamos um espaço diferenciado, com platôs, escadas e rampas integrados com a areia e vegetação local. No topo da duna um café possui vista para a cidade, e a sua cobertura é um mirante com vista para a lagoa.

Conforto Ambiental e Eficiência Energética

Nosso projeto tem o objetivo de atingir os mais altos índices de conforto térmico, acústico e lumínico com o mínimo consumo de energia e de outros recursos, com base nos seguintes pontos chaves.

1. Concepção inteligente na orientação e volumetria da edificação com fachadas leste, norte e sul protegidas pela própria geometria do prédio;

2. Aperfeiçoamento do envelope da edificação com o objetivo de minimizar a incidência solar direta com o uso de vidros especiais e brises na fachada oeste;

3. Uso de equipamentos e sistemas energeticamente eficientes. Sistema de ar-refrigerado altamente eficiente com insuflamento por pleno e piso elevado, e retorno superior por grelhas.

Iluminação com uso de LEDs com controle de luminosidade dimerizável complementando a iluminação natural;

4. Dependendo da executabilidade e considerando o mérito do uso de tecnologias renováveis, propomos a montagem de painéis fotovoltaicos sobre a cobertura, bem como o uso de tecnologias de resfriamento solar. O uso da Tecnologia de aquecimento solar da água ou o condicionamento de ar utilizando chillers solares também são recomendados. Os chillers à água tambem devem ser estudados como uma possibilidade.

Uso da Água

O consumo reduzido de água deve ser alcançado com uso de componentes eficientes nas instalações, plantas resistentes à seca e práticas eficientes de irrigação. A drenagem superficial será descarregada de forma controlada na lagoa minimizando os riscos de poluição.

Fachadas

Os isolantes térmicos e as vedações devem ser otimizadas para reduzir as demandas de condicionamento de ar, e a proteção solar dos vidros será especificada para limitar os raios solares diretos.

Proteção Solar

Um bom isolamento e o bom controle das pressões do ar podem trabalhar bem minimizando o sobreaquecimento, desde que haja o sombreamento adequado do edifício. Uma grande atenção foi dada à fachada oeste, principalmente no verão, com o uso de brises estrategicamente projetados, com o uso de simulação computacional.

Com altos níveis de radiação sobre a cobertura da edificação, um “teto frio” com o uso de telhas e pintura clara irão ajudar a refletir o calor e reduzir o consumo de ar-condicionado.

Otimização da Luz Natural

Sheds na cobertura irão permitir a iluminação natural indireta dentro da edificação. O forro de madeira bem clara permitirá a penetração da luz. Um sistema de iluminação artificial totamente dimerizável irá fazer a composição necessária para garantir o menor consumo de energia elétrica.

Fachada

A estrutura da fachada oeste é composta por sistema de alumínio extrudado, os elementos do brise são suportados por sistema de cabos de aço suspensos na estrutura da cobertura.

Com os brises estruturados por cabos e não pelos montantes da fachada os dois sistemas são efetivamente independentes evitando assim sistemas de fachada complexos e caros.

Galeria de técnica e piso elevado

Galeria técnica principal atendendo ao salão de exposições a as salas de palestra. Sistema de piso elevado proporcionado flexibilidade de lay-out na distribuição de energia, dados, insuflamento de ar e etc..

Treliças principais da cobertura

As treliças aparentes, construídas em madeira com os nós arquiteturalmente detalhados, mostram claramente a proposta de sustentabilidade da edificação compondo ainda um ambiente acolhedor e agradável.

A racionalização da geometria da estrutura de cobertura baseada em círculos concêntricos permite o uso de elementos estruturais repetitivos criando assim uma solução estrutural eficiente.

A madeira pode ser facilmente substituída pelo aço caso não seja possível encontrar fornecedores locais de estruturas em madeira.

Painéis de cobertura

Sistema modulado de cobertura composto por painéis termo-acústicos autoportantes com sistema estrutural composto por faces de compensado e grelha interna em madeira laminada.

Geometria otimizada em grids tangenciais de forma a minimizar o número de painéis típicos.

Redução de custo e tempo de construção com utilização de madeira compensada de qualidade na face interna do forro.

Instalações e componentes diversos podem ser montados nos painéis de cobertura antes da montagem.

Biogênese

Desde a década de 70, as questões ambientais ganham espaço em pesquisas, mídia e congressos. Infelizmente de uma maneira alarmante. Devido aação antrópica, as perdas de áreas naturais aumentam em velocidade vertiginosa sendo justificada pela consolidação do progresso da economia em processo de globalização. Com isso, florestas em biomas diversos, principalmente próximas a centros urbanos altamente adensados, vão minguando e se tornando pequenas ilhas, seja no meio de cidades e centros, sejam em meio a áreas de pastos ou plantações. A perda da cobertura natural acarreta problemas como alagamentos, erosão e gera ameaça a vida de espécies. Ou seja, todo o ecossistema sofre com os impactos das ações humanas, inclusive o próprios seres humanos.

Com o objetivo de amenizar esses impactos e promover a reintegração do ser humano ao meio ambiente de uma maneira ecologicamente correta, na busca pela construção de lugar, onde o espaço físico é impregnado pelo sentimento, pela história de cada um, é que pensamos em fazer a manutenção da restinga e do mangue em nosso terreno. A proximidade com áreas de proteção (parque ecológico municipal dormitório das garças) e com a lagoa de Araruama favorece a abordagem da mimese da paisagem, a fim de permitir que a natureza encontre o espaço para se regenerar por si só (conceito de ecogênese), sendo isso facilitado pelas áreas verdes mantidas em nosso parque tanto na “duna” quanto no deck de aproximação. Além disso, é importante favorecer a aproximação do ser humano e o estimulo à consolidação do elo com o meio ambiente, já que a preservação e a defesa só se tornam efetivas quando o envolvimento afetivo com o lugar existe

 

 

 

O projeto foi uma parceria dos escritórios Marco Milazzo Arquitetos Associados, Expedition Engineering, Useful Simple Projects, PACs Engenharia

 

 

Equipe:
Marco Milazzo
Gustavo Rosadas
Andreas Gyarfas
Fred Labbe
Andrew Weir
Ed McCann
Atreyu Delacy
Frederico Donagemma
Tamara Pina
Daniel Raymond
Daniel Lima Teixeira
Jorge Miguel
Jéssica Fires

 

Perspectiva Perspectiva Fachada Oeste Perspectiva Fachada Oeste Perspectiva Detalhe da Fachada Oeste Perspectiva Aérea Perspectiva Fachada Oeste CCCF Perspectiva Estacionamento e Docas CCCF Perspectiva da Praça Interna CCCF Perspectiva Entrada e Parque CCCF Perspectiva Interna CCCF Perspectiva Fachada CCCF Perspectiva Externa CCCF Perspectiva Chegada em Cabo Frio CCCF Perspectiva Aérea CCCF Perspectiva Acesso de Pedestres CCCF Perspectiva Parque CCCF Perspectiva Interna CCCF Perspectiva Entrada Pedestres CCCF Perspectiva Praça

 

www.000webhost.com