2000

Portfolio Completo PDF

BIBLIOTECA DE DIREITO DA USP

 


 

BIBLIOTECA DE DIREITO DA USP

São Paulo - SP - 2013

cliente: USP

área construída: 4.732,00 m²

 


 

INTRODUÇÃO

Para conceber uma biblioteca contemporânea que atenda as necessidades presentes e futuras de seus usuários, é necessário responder algumas perguntas: o que é uma biblioteca ? para quem ? quando ? como ? a era digital é o fim do livro em papel ?

O uso do livro, sua simbologia e o futuro da leitura são temas constantemente debatidos pela comunidade acadêmica e científica, desde antes de Cristo. As conclusões são sempre as mesmas: a leitura nunca deixará de existir, e o livro impresso como o livro digital, são formas diferentes de interação com a leitura, uma não acabará com a outra, ambas coexistirão.

Da mesma forma, poderia se dizer que o fim do livro causaria o fim das bibliotecas. Mas as bibliotecas nunca deixarão de existir, pois elas não são simplesmente o local onde os livros são guardados.

A biblioteca é um local simbólico, que eleva o objeto do livro à um patamar superior, onde a cultura literária é valorizada. Essencial para manter e aumentar a cultura da leitura. “O livro é por si só um objeto inspirador.” (Norman Foster)

É um espaço de contato com os livros e com as pessoas. O contato íntimo com o livro, o franco acesso aos acervos, a possibilidade de tocar, olhar, escolher, é uma das melhores formas de alcançar a informação desejada. Conhecer pessoas que procuram pelos mesmos assuntos, trocar ideias e informações: o convívio social.
A biblioteca é geradora de um ambiente acolhedor que envolva as pessoas e permita que a leitura se torne mais agradável.

E da mesma forma que os teatros, os cinemas, os museus, e todas as outras arquiteturas armazenadoras e difusoras de cultura, a biblioteca é o local onde o objeto livro é armazenado e preservado. A memória da humanidade. Uma biblioteca universitária possui ainda um caráter mais forte, um significado simbólico importante, como o centro do conhecimento, o coração da universidade.

Como a biblioteca será no futuro é uma incognita, mas alguns pontos importantes nos guiaram para desenvolver nosso projeto:

- O uso do computador e dos livros digitais é uma realidade e a biblioteca precisa ser um espaço que permita a coexistência das diversas formas de leitura, do livro de papel, até as novas tecnologias que ainda possam surgir.

- A biblioteca precisa permitir o aumento ou a diminuição dos acervos, de acordo com a necessidade e o surgimento de diferentes formas de leitura. Permitir que os espaços de leitura se transformem em espaços de acervo e vice-versa.

- A biblioteca deve atrair as pessoas, criar espaços diversificados, com identidades múltiplas, convidativas. Se caracterizar como um espaço cultural e social. Essas características é o que eternizarão o seu uso, independente de qual for o “livro” do futuro.

PARTIDO FORMAL

O Edifício da Biblioteca da Faculdade de Direito da USP está localizado em um ponto central da cidade, abrigando alguns marcos da história paulistana e considerado o principal conjunto de arquitetura barroca da cidade. Apesar da edificação da biblioteca não ter a mesma representatividade de outras edificações históricas, a nossa intervenção procurou manter algumas características da arquitetura original da edificação, e fortalecer sua integração com o entorno imediato. Mantivemos então grande parte da fachada original do prédio e nossa intervenção formal se definiu em 3 pontos:

- Com objetivo de atrair os pedestre para dentro do prédio, abrimos o pavimento térreo o máximo possível, e recuamos a entrada, aumentando a área externa de calçada. Criamos elementos de atração e visibilidade para os pedestres e os carros.

- Retiramos as esquadrias originais e criamos pequenas sacadas, mantendo a modulação mas inserindo elementos diferenciados, como caixas ou gavetas, que se abrem para a cidade, construídas de estrutura metálica revestida com madeira e fechadas com vidro. O espaço gerado funciona como espaço de leitura.

- Ampliamos verticalmente a edificação, construindo uma “caixa transparente”, um elemento bem diferenciado volumetricamente, flutuando sobre o prédio, elemento vivo, iluminado, como o cérebro do corpo.

Inicialmente, ao visualizar a imagem do prédio da biblioteca, a impressão é que a edificação vizinha, na esquina das Ruas Senador Feijó e Cristóvão Colombo, também fazia parte da edificação.

Talvez pelo uso dos mesmos materiais de revestimento, ou da relação volumétrica que ambos fazem entre si. Esta imagem nos induziu a criar uma relação maior entre as duas edificações, e assim nos “aproveitar”do vizinho para valorizar a edificação. Nos limitamos então à ampliar a edificação verticalmente até o limite do edifício vizinho, criando uma relação visualmente mais integrada. Ao mesmo tempo essa ampliação é suficiente para que possamos atender todo o programa solicitado, com o teatro-auditório-cinema de 100 lugares, e uma cobertura-terraço panorâmico.

INTERVENÇÃO INTERNA

Internamente procuramos aumentar os pavimentos incorporando totalmente o prisma de iluminação do fundo do terreno e ocupando uma parte do prisma de iluminação central.

O prisma central foi transformado em um canal de comunicação entre os pavimentos, maximizando o seu potencial de iluminação. Retiramos todas as paredes, e inserimos guarda-corpos de vidro translúcido. Para garantir o condicionamento do ar, o prisma foi vedado com uma interface dupla ventilada de policarbonato e vidro, que mantêm a entrada de luz indiretamente. E na cobertura o prisma também continua recebendo iluminação indireta. Os acervos e funções foram distribuidos pelos pavimentos de acordo com a maior ou menor necessidade de luz. Andares superiores com maior iluminação e andares inferiores com menos iluminação. A mesma solução de revestimento translúcido foi utilizada no prisma dos fundos. Assim as áreas próximas aos prismas foram destinadas à leitura e consulta, e as áreas já existentes dos pavimentos, mais protegidas e com menos iluminação natural, foram destinadas aos acervos.

O novo pavimento de cobertura é totalmente construido para receber iluminação indireta, uma grande caixa de vidro e policarbonato, formando um “sanduíche” ventilado, e protegido do sol por brises.

DISTRIBUIÇÃO PROGRAMÁTICA

Propomos um projeto que permita distribuição programática e layouts flexíveis, onde as áreas de acervo, leitura e pesquisa possam ocupar menor ou maior espaço. Nosso projeto permite a flexibilização por pavimento e/ou entre pavimentos.

O pavimento térreo é dividido em área pública e área restrita. Logo na entrada o balcão de recepção e informações direciona quem deve entrar na biblioteca, ou visitar o espaço multi uso, o café e a loja de souvenires.

No próprio balcão o usuário da biblioteca pode deixar seus pertences no guarda-volumes, fazer qualquer tipo de cadastro, reservar, receber ou devolver livros. Caso queira utilizar a biblioteca, o controle de entrada e saída pode ser feito no térreo, deixando livre acesso aos andares do prédio. A circulação vertical é feita através de dois novos elevadores, pela escada principal localizada no antigo prisma de iluminação, e ainda foi projetada uma escada de emergência. Caso seja necessário o controle de acesso pode ser feito individualmente para cada pavimento, já que todas as circulações verticais se concentram no mesmo ponto em todos os pavimentos. Isso também possibilita a setorização de cada pavimento em duas partes. O subsolo foi utilizado para acomodar parte dos serviços e administração da biblioteca. As funções de aquisição, automação, indexação, produção, processamento, encadernação, reparos, restauro, quarentena e reserva técnica foram alocadas nos dois pavimentos do edifício Cláudio Lembo.

Para os outros pavimentos propomos uma distribuição baseada nas necessidades e considerações relevantes explanadas nas bases do concurso, mas que podem ser alteradas futuramente de acordo com a necessidade e o aumento ou diminuição do acervo:

O Acervo Especial foi localizado no primeiro pavimento, facilitando o acesso e garantindo maior segurança e conexão com o balcão principal. No segundo pavimento está localizada a área de docentes e graduandos e a reprografia.

No terceiro pavimento está localizada o acervo de teses, folhetos e separatas. Do quarto ao oitavo pavimento está o acervo de livros, salas de leitura individuais e coletivas.

O nono pavimento é o setor multimídia, que pode ser organizado e divido para funcionar de diferentes formas. No décimo pavimento está localizado o teatro-cinema-auditório e o acervo de períódicos.

 

 

O último pavimento é um terraço coberto, que se integra com o décimo pavimento através de uma grande escadaria, criando um espaço de reflexão, contemplação, leitura, descanso, juntamente com um segundo café.

CONDIÇÕES AMBIENTAIS E INSTALAÇÕES

O uso do condicionamento de ar artificial é fundamental para assegurar a qualidade de preservação dos acervos. O uso de dutos não é possível devido ao baixo pé-direito da maioria dos pavimentos, portanto achamos conveniente adotar sistema de água gelada com fancoletes, possibilitando controle individual por setores e pavimentos. Foram reservadas áreas no térreo e cobertura para instalação dos chillers.

Através de um grande shaft correrão todas as novas instalações sanitárias, elétricas e a distribuição da água gelada para os fancoletes de teto e de parede dos pavimentos.

 

Em cada pavimento há um conjunto de sanitários masculino e feminino, próximos ao shaft e à escada de emergência, criando um núcleo de circulação e instalações.

A iluminação artificial é a mais adequada para preservação do acervo, mas aproveitamos a iluminação natural indireta para algumas áreas dos pavimentos, criando setores mais iluminados e outros menos iluminados.

 

 

Equipe:
Marco Milazzo
Daniel Lima Teixeira
Matheus Ladeira
Julio César Scremin
Diana Tavares de Sousa
Karen Wanesca

 

Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP Projeto para Biblioteca Curso de Direito USP

 

www.000webhost.com